Poesias

Repetição

O mundo é mera repetição de si mesmo.
Faz e refaz a mesma coisa todos os dias – ou todas as noites.
De manhã lá vem o sol
que ao fim da tarde faz arrebol.
À noite vem a Lua que de leve
em brisa breve se insinua.

Nós somos mera repetição de nós mesmos.
Nós repetimos os mesmos atos todos os dias – ou todas as noites.
E como se não bastasse
o alerta que desperta em cada face,
são atos que já foram vividos
talvez mais que despidos por outros indivíduos.

Recriamos nada!
Camuflamos o existente,
que sim ou não conscientes
flagela em novidade aparente.

Praticamente dizemos as mesmas coisas,
talvez para pessoas diferentes que,
quando não figuradas em outras,
são as mesmas de sempre,
com a mesma pele, mas com a essência eloqüente – para não ter de repetir o diferente

Assim, já dizia o filósofo,
que ao cruzarmos um rio,
nem nós, nem o rio seremos os mesmos
que em desprezo há alguns segundos éramos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s