Poesias

Éramos nós e nada mais

Por um instante o tempo parou
E como força constante
Do meu ser se aproximou
Era quente, era úmido
O que calava
No seu falar profundo
O silêncio era posse permanente
Na vicissitude louca
Da gente.
Não era eu
Não era ele
Éramos nós e nada mais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s