Folha de caderno · Poesias

Des-ilusão

Vago agora na minha descrença.
Não sei mais quem sou eu,
nem quem é você.
Pergunto se tudo que fiz
foi realmente feito.
Se tudo que passei
trouxe algo para mim.
Olho a minha volta
e olho para mim mesma.
Será que eu mereço só isso?
Será que eu dependo disso?
Essa falta de humanização.
Pessoas ou animais?
Um ambiente promíscu0.
Uma vida infundada.
Uma realidade suja.
Uma moral decaída.
Será que de tudo que tenho
sobrará apenas o resto do progresso?
Que não há!!!
Perco-me nas vaidades e me deparo com o caos.
Desfaço-me da verdade
iludindo-me com o mal.
Tenho medo do que possa acontecer
comigo e com os outros
que vivem na desmedida inconsequência,
no desperdício da existência.
Falo pouco porque sei sei pouco
e espero descobrir algo mais…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s